Sermões

Sermão do IV Domingo da QuaresmaA acídia

Enchei-vos de alegria por Jerusalém, todos os que por ela se entristeceram. (Isaías 66, 10) Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… Na seqüência das considerações sobre os vícios capitais, falaremos hoje da acídia, porque ela se opõe à alegria que se deve ter na vida católica. Um vício recebe o nome de capital quando outros pecados procedem dele como conseqüências naturais, como se de uma mesma cabeça procedessem muitos membros: “Assim como os homens praticam muitos atos visando o prazer, quer para consegui-lo, quer levados à ação pelo ímpeto do prazer; assim também fazem, por tristeza, muitos atos, quer para evitá-la, quer arrastados a agir pelo peso dela” (Suma Teológica II-II, q. 35, a. 4). A palavra acídia vem do grego. Kedòs significa cuidado. O a no início da palavra tem valor de negação. Literalmente, acídia significa falta de cuidado. Santo Tomás…

Sermão do III Domingo da QuaresmaNão ter medo de fazer boas obras

Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém. No Evangelho de hoje, vemos Cristo expulsar um demônio e logo em seguida ser atacado pelos fariseus. Cristo faz uma obra boa e, como recompensa, é atacado. Esse é um exemplo claro para não termos medo de fazer boas obras, mesmo quando elas desagradam alguns. É impossível agradar a todos quando fazemos ou falamos algo, pois o mundo é bipartido entre os filhos da Virgem e os filhos da Serpente, ou entre a Cidade de Deus e a Cidade dos Homens, na imagem consagrada por Santo Agostinho. Ocorre de querermos ajudar algumas pessoas e essas, ao invés de agradecer, nos atacam de modo violento. As mães entendem muito bem isso. Quando tentam dar um remédio ou vacina a um filho que é criancinha, quantos empurrões e socos não leva em troca! Nem por isso a mãe deve evitar…

Sermão do II Domingo da Quaresma

É esta a vontade de Deus: (…) que vos aparteis da luxúria (…) sem se deixar levar pelas paixões, como os gentios, que não conhecem a Deus. (…)Nessa matéria ninguém fira ou lese a seu irmão, porque de tudo isso se vinga o Senhor, como já vos temos dito e assegurado. Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas sim para a santidade. Portanto, quem desprezar estas instruções não despreza um homem, mas Deus, que vos infundiu o seu Espírito Santo. (1 Tess. 4, 1-8) [Imagem: Santo Tomás expulsa, da torre em que estava preso, a moça de má vida] Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… Nesta Quaresma nos parece proveitoso algumas palavras sobre os pecados capitais, suas características, os frutos ruins que produzem em nós, e o modo de combatê-los. E, pelo tema da Epístola e do Evangelho de…

Sermão do I Domingo da Quaresma

Cristo foi conduzido ao deserto pelo Espírito, para ser tentado pelo diabo. (São Mateus 4, 1) Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… Partindo do Evangelho de hoje, vendo Cristo ser tentado pelo demônio no deserto, nos pareceu que seria proveitoso aos fiéis uma espécie de exame sobre como trato minhas tentações, como as vejo, como me comporto nelas, aplicável a cada um por meio de um exame pessoal. A tentação de Cristo foi meramente exterior, sem que elas lhe causassem hesitações interiores, e rebelião dos afetos e sentidos contra a inteligência. Mas Cristo quis passar por essas sugestões do demônio, para nos mostrar como devemos agir em nossas tentações. Eis aqui, então, algumas questões que devemos nos colocar a respeito de nossas tentações pessoais: Sonhei com um estado ideal sem tentações neste mundo, constando que eu necessariamente as terei? ― Considero…

O Cânon da Missa: Parte II (Sua origem)Sermão da Sexagésima

Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… Continuando algumas considerações sobre o Cânon da missa, devemos nos perguntar: Qual é a origem do Cânon do rito romano tradicional? De onde vieram essas orações que envolvem as palavras da Consagração, no rito romano tradicional? Para responder estas perguntas, precisaremos de um pouco de reflexão, fazendo algumas associações, entre alguns escritos da Sagrada Escritura, dos Padres da Igreja, e algumas informações da tradição. A tradição eclesiástica sempre disse que o Cânon da missa vem dos Apóstolos. É necessário reconhecer que não temos nenhum documento assinado e timbrado, pelas mãos dos Apóstolos, datado do primeiro século, que nos dê a evidência disso… Mas podemos olhar um pouco mais de perto as orações do Cânon, e ver que essa afirmação da tradição não é nem um pouco absurda. Ao contrário, uma análise do Cânon, feita de…

O Cânon da MissaSermão do V domingo depois da Epifania

Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… No último sermão falamos da origem das orações ao pé do altar, e seu significado espiritual. Hoje veremos alguma coisa sobre o Cânon da missa. Nossa intenção não é a de seguir uma ordem rigorosa das orações da missa, mas de explicar, pouco a pouco, certos aspectos mais interessantes do rito, que nos ajudem a saber do que fazemos parte ao assistir a Santa Missa. O Cânon da missa é o conjunto de orações que começa nas palavras “Te igitur…”, após o Sanctus, até as palavras “…per omnia saecula saeculorum”, antes do Pai nosso. Cânon, em grego, significa regra, algo que é uma referência, uma norma. Ele recebeu este nome porque é o conjunto de orações que são a regra, a referência de como devemos consagrar. É a forma fixa de como oferecer o sacrifício…

As orações ao pé do AltarSermão do IV domingo depois da Epifania

Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… A maioria dos fiéis que assistem à Santa Missa no rito romano tradicional, infelizmente, não conhecem o que assistem a cada domingo. Por isso, nos pareceu necessário explicar a origem história das orações e ritos da Santa Missa, os gestos e vestes do sacerdote, para ajudar os fiéis a rezar melhor durante a Santa Missa, entendendo do que estão fazendo parte. O Rito romano tradicional é, na sua origem, o rito da missa tal como celebrado na diocese de Roma. Há muitos outros ritos da missa na Igreja Católica: o rito dominicano, o rito carmelita, o rito lionense (rezado na arquidiocese de Lyon, na França), o rito malabar (na Índia), o rito bizantino, o rito maronita, etc. As diferenças entre os ritos são o resultado de várias causas, que se uniram em cada rito, produzindo…

Sermão da Solenidade da Epifania

E, sendo por divina revelação avisados num sonho para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para a sua terra por outro caminho. (S. Mateus 2, 12) Em nome do Pai e do Filho + e do Espírito Santo. Amém. Ave Maria… O Evangelho de hoje nos introduz a causa da matança das crianças de Belém, ordenada por Herodes. “Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore” (S. Mateus, 2, 7-8). Sua finalidade era a de matar Jesus Cristo. Por ser uma finalidade ruim, tinha, entre outros sentimentos, medo e vergonha de propor isso diretamente aos magos. Herodes sabia que se fizesse aos magos esta proposta diretamente, que eles não a aceitariam. Por isso, busca um…

Navigate