A vocação sacerdotal no Instituto do Bom Pastor

 

Depois das últimas ordenações sacerdotais do Instituto, aproveitamos a ocasião para publicar novamente um texto que serve de guia e orientação para todo aquele que cogita escolher o sacerdócio como estado de vida, julgando que servirá melhor a Nosso Senhor nele do que em outro estado.


O Instituto Bom Pastor é uma sociedade de vida apostólica de direito pontifício, fundado em 2006, sob o pontificado e os auspícios do Papa Bento XVI. Isso significa que seus membros são padres seculares e não religiosos, embora os membros vivam em comunidade nas casas do Instituto. A espiritualidade sacerdotal do Instituto se baseia nas qualidades de Jesus, o Bom Pastor, que não cessa de buscar as ovelhas perdidas, com zelo pastoral repleto de caridade e misericórdia. O objetivo do Instituto é a santificação dos seus membros e a santificação das almas, para a maior glória de Deus.

O Instituto Bom Pastor tem como missão própria e específica – que lhe foi confiada pela Santa Sé – a difusão no seio da Igreja do tesouro da Tradição católica, tanto litúrgica quanto doutrinal, colocando a serviço das Dioceses padres formados em vista de um apostolado tradicional sob todas as suas formas.

Essa missão se concretiza, sob um aspecto, com o uso exclusivo do rito tradicional (livros litúrgicos em vigor no ano de 1962, chamado “forma extraordinária do rito romano”) em todos os seus atos litúrgicos. Na esteira da Instrução Universae Ecclesiae (2011), o Instituto objetiva tornar acessíveis as riquezas do usus antiquior a todos os fiéis católicos, em vista de participar da renovação do fervor cristão e de uma reevangelização que, para ser frutuosa, deve estar necessariamente fundada na Tradição.

Sob outro aspecto, essa missão se realiza com a formação espiritual, filosófica e teológica tradicional dada aos seus sacerdotes, o que implica a possibilidade – dada também explicitamente pela Santa Sé – de crítica construtiva e séria a certos atos controversos do Magistério recente, de acordo com os princípios teológicos que regem os diversos graus de Magistério e os diversos graus de assentimento que lhe são devidos. Não se trata de polêmica vã, mas de colocar à disposição da autoridade eclesiástica argumentos teológicos sólidos para uma boa interpretação dos textos e mesmo para a correção de certos textos recentes problemáticos.

Para os membros do Instituto, a liturgia tradicional e a formação teológica fundada sobre a doutrina de São Tomás de Aquino – tantas vezes recomendado pelos Soberanos Pontífices – são meios indispensáveis para o bem do sacerdote e das almas de que cuida.

O apostolado do Instituto pode se desenvolver em âmbitos diversos: Paróquias Pessoais, mas também capelanias, escolas, pregação de retiros, obras de caridade, etc. Tudo aquilo que serve para o bem das almas pode fazer parte do ministério de um padre do Instituto. Atualmente, o Instituto tem casas na França, na Itália, na Polônia, no Brasil e na Colômbia.

O Instituto Bom Pastor possui a sua casa de formação, o Seminário São Vicente de Paulo, na França, em Courtalain, cidade com aproximadamente 400 habitantes, na Diocese de Chartres (duas horas de Paris). A tranquilidade do local permite a vida de oração e de estudo da sagrada doutrina pelos seminaristas. A formação dura seis anos: um ano de espiritualidade ou propedêutica, dois anos de filosofia e três de teologia. Nesses seis anos, sob a guia do Doutor Angélico, os seminaristas estudam os tratados clássicos da Filosofia e da Teologia, mas abordam também os problemas contemporâneos e suas consequências práticas no âmbito dessas duas ciências. Ao longo desses anos, o candidato ao sacerdócio recebe a tonsura e as ordens menores e maiores, preparando-se, pouco a pouco, para receber o sacramento da ordem, a fim de oferecer quotidianamente o Santo Sacrifício da Missa e de administrar os outros sacramentos. Procura-se, então, no Seminário São Vicente de Paulo, unir a vida de piedade e a vida intelectual do seminarista, que são os dois pilares da santidade sacerdotal e do apostolado frutuoso.

O desejo de ingressar em um Seminário e de buscar a vida sacerdotal pressupõe uma vida cristã sólida, com frequentação assídua dos sacramentos, com a aplicação aos deveres de estado, com o desejo de salvar as almas e o propósito de servir Deus e a Igreja inteiramente. O candidato deve levar uma vida moral coerente com o estado que almeja abraçar e deve ter também a aptidão intelectual para aprender a doutrina da Igreja, a fim de poder alimentar o rebanho que lhe será confiado.

Todo jovem católico deve considerar diante de Deus o estado de vida em que, concretamente, melhor pode servir a Deus. Não se trata de esperar um chamado extraordinário, mas de fazer uma escolha esclarecida, com sua inteligência e vontade movidas pela fé e pela caridade. Para isso, é preciso rezar bastante, sobretudo à Virgem Maria, consultar um bom diretor espiritual, e tomar a decisão com generosidade. Nesse processo de discernimento, caso a escolha se oriente para a vida sacerdotal, o candidato deve considerar com atenção a instituição ou a congregação que lhe permita melhor servir ao Senhor.

Os desejosos em servir Jesus Cristo e a Igreja como sacerdotes do Instituto Bom Pastor devem entrar em contato pessoalmente com um sacerdote do Instituto em uma das casas brasileiras (São Paulo/SPBrasília/DF ou Belém/PA). 

Navigate